CENTRO INTERNACIONAL TRATAMENTO DA DOENÇA DE PEYRONIE
INTERNATIONAL CENTER FOR PEYRONIE`S DISEASE TREATMENT
Fale com o Dr. Paulo Egydio

CLIQUE AQUI
Fale Com o Doutor

Doença de Peyronie causa impotência – disfunção erétil?

Alguns homens com doença de Peyroniecerca de 20%, perdem a capacidade de manter o sangue no pênis por disfunção venoclusiva ou “escape venoso”, o que os impede de manter uma ereção por tempo suficiente para o ato sexual completo e a satisfação sexual do casal, ou conforme o grau da curvatura peniana, pode impossibilitar a penetração e consequentemente o ato sexual.

A perda de ereção também pode estar associada à ansiedade, estresse, ou outras alterações psicológicas e não necessariamente à doença.

Dados da literatura mostram que pelo menos 33% (um terço) dos pacientes, com alguns trabalhos de até 100%, apresentam disfunção erétil por ocasião do aparecimento da doença de Peyronie.

Segundo outros estudos internacionais, a incidência de problemas de ereção em homens entre 40 e 70 anos de idade chega a 52% e nos pacientes que desenvolvem a doença de Peyronie está presente em 20 a 54% dos casos (“Journal of Urology, Vol 172, Fasc 1, Págs 259 a 262”).

Ou seja, a faixa de idade que costuma desenvolver a doença de Peyronie é a mesma da incidência de problemas de ereção e se a pessoa já tinha problemas de ereção, a doença de Peyronie costuma agravar ainda mais o problema. As duas causas (idade e doença de Peyronie) se sobrepõem e maximizam os problemas de ereção (disfunção erétil – impotência sexual).

E a maior causa da doença de Peyronie é uma ereção não adequada, que não dá um bom e adequado grau de rigidez ao pênis, de forma que ele fica predisposto a traumas e microtraumas durante o ato sexual e consequentemente provocando a doença de Peyronie. E se a ereção já não era adequada, com o desenvolvimento do Peyronie, fica ainda mais agravada (ex: se a pessoa tinha disfunção erétil moderada, que pode ter sido a causa dos traumas e microtraumas que desenvolveram o Peyronie, com o aparecimento desta doença pode agravar o problema e a disfunção erétil se tornar severa). E também deve ser tratada.

É importante que a disfunção erétil seja tratada, independentemente da sua causa, possibilitando a recuperação da capacidade sexual e evitando assim, que o pênis dobre durante o ato sexual, diminuindo as chances de traumas e microtraumas e do desenvolvimento da doença de Peyronie.

E pacientes que estejam com doença de Peyronie, é fundamental que, além de tratar o Peyronie, o médico trate também a disfunção erétil, para evitar novos traumas e microtraumas e assim evitar também novos episódios de doença de Peyronie, evitando o desenvolvimento de novas deformidades, como curvaturas, afinamentos, diminuição do tamanho.

Um grande diferencial oferecido pelo Dr. Paulo Egydio, no tratamento cirúrgico da doença de Peyronie associada à disfunção erétil importante e que tenha indicação de implante de prótese peniana, é a realização da reconstrução peniana na correção de Peyronie, com alongamento e recuperação do maior tamanho e calibre possível, até o limite do tamanho dos nervos, vasos e uretra (que é o maior tamanho possível em um procedimento reconstrutivo de correção de Peyronie), através da Técnica de Egydio (reconhecida internacionalmente como “Egydio’s Technique” e com patentes nos EUA e Europa) e no mesmo ato cirúrgico já fazer o implante de prótese peniana. Esta técnica possibilita o melhor resultado e a maior satisfação do paciente.

Consideração importante:

muitos médicos não sabem ou não tem experiência para fazer reconstrução peniana (para alongar e recuperar tamanho e calibre) e nestes casos acabam fazendo somente um simples implante de prótese, onde o pênis fica muito pequeno e o paciente muito insatisfeito. Dr. Paulo Egydio recebe muitos desses casos, onde o paciente chega desesperado dizendo que o pênis ficou muito pequeno depois da cirurgia e alguns chegam a relatar que chegaram a perder até cerca de cinco centímetros ou mais do tamanho do pênis. Nestes casos, o Dr. Paulo precisa fazer uma reoperação, retirando a prótese, fazendo uma reconstrução peniana para alongar e recuperar maior tamanho e calibre e então no mesmo ato cirúrgico fazer um novo implante.

Curvatura, afinamento e redução do tamanho tem solução!

Recupere sua autoestima, autoconfiança, qualidade de vida e felicidade!

Veja no vídeo abaixo como o Dr. Paulo Egydio poderá ajudá-lo a resolver o seu problema:

Veja mais vídeos em nosso canal no YouTube

Cada caso deve ser tratado de forma individualizada. Entenda algumas particularidades

Tweet